Modelo Pedagógico


As Faculdades Integradas Rio Branco inserem-se no novo espírito, cultivando os elevados princípios e valores humanos, os projetos pedagógicos articulam-se entre as diversas áreas do saber em consonância com projetos individuais dos alunos. A interdisciplinaridade está presente desde a arquitetura do Campus até nos planos de formação profissional. O projeto pedagógico de cada curso está articulado aos macro-eixos curriculares (presentes em áreas do conhecimento) e dimensões interativas com a realidade. Portanto, os programas oferecidos possibilitam momentos de reflexão, elaboração de soluções criativas e aplicação à realidade.

Na interdisciplinaridade, consideramos as recentes teorias de Gardner, Perkins e Perrone¹ para sustentar e validar o modelo. Criar significados é saber articular diferentes partes da percepção, do vocabulário, da sintaxe e da complexidade do processo cognitivo em cada uma das etapas formativas.

Também realizamos estudos profundos sobre as inter-relações entre as diferentes concepções de conhecimento, inteligência e prática docente para que houvesse maior sintonia entre os campos da epistemologia, o projeto pedagógico, o papel do professor e a construção dos saberes em suas áreas correlatas.

Na aplicação deste modelo, surgem novos comportamentos, relação entre os padrões reflexivos e analíticos assim como os elementos pré-representativos de compreensão do futuro no qual adquirem um significado muito mais amplo.

O aluno percorre a faculdade tal qual uma viagem percorrendo a espiral do conhecimento, visitando diversas áreas do saber, vivenciando atividades extracurriculares, compartilhando experiências com seus pares e educadores, diferenciando seu perfil profissional, melhorando suas habilidades natas e adquirindo novas competências.


Corpo Docente

Educar no mundo globalizado também significa resgatar o aspecto funcional e representacional e representativo do pensamento. Para maior amplitude deste conceito, o educando deve estar preparado para a mobilidade e relacionamento de saberes tal qual uma complexa arquitetura do conhecimento, e o elemento central deste processo, tal qual um arquiteto, é o professor.

Formar um profissional é um ato que ultrapassa a sala-de-aula. Fazer com que o aluno compreenda e atue sobre o mundo exterior exige a intervenção do educador para propiciar percepções e processos internos. A possibilidade de expandir as referências imediatas propiciará um significativo aumento da complexidade da rede de conexões que permeia a recepção e a produção de conhecimento. A vivência, a experiência, a aprendizagem e a compreensão são fatores significativos para a ampliação do universo de referências do educando.

O modelo que nos propomos também ultrapassa em muito a mediação entre o professor e o aluno. Mediar não é gerenciar conteúdos culturais. O ato de observar, relacionar e re-significar admitem uma importância muito maior comparada aos modelos pedagógicos anteriores. Nas Faculdades Integradas Rio Branco, o professor é um formador integral por excelência. O corpo docente é constituído em sua grande maioria por Professores Mestres e Doutores e nas etapas finais por professores e profissionais especialistas de grande destaque no mercado. Lidar com educação é permitir o crescimento da essência humana.

Ser professor é estar comprometido com o crescimento, a realização e a felicidade do próximo.

Superando e reconhecendo os vários sujeitos que o professor assume no processo de ensino-aprendizagem, compreende-se que a heteronímia² docente requer uma investigação das competências, habilidades e capacidades representacionais do educando. Desconsiderar este universo significa uma atitude docente mecanicista, com estados acabados de conhecimento e ausente de entidades abstratas tão necessárias ao processo reflexivo e criativo na formação do educando.

O professor do século XXI deve criar estratégias e sistemas de ensino aprendizagem que privilegiam aos seus aprendizes a antecipação de situações concretas, a autonomia do saber, a inovação, a criatividade, o desenvolvimento do espírito empreendedor e a perspectiva interdisciplinar do Saber.

Portanto, a criação de um modelo formativo multidimensional e interdisciplinar foi apenas o nosso primeiro desafio.


Inovação

No processo de inovação não há linearidade. Há eixos formativos integrados e alimentados continuamente por mudanças sucessivas. A estratégia formativa é orientada para o desenvolvimento de habilidades, capacitações genéricas e específicas e a criatividade. Perceber os sentimentos, pensamentos e condutas faz com que a dinâmica epistemológica contemple caminhos e perspectivas mais amplas.

Nos anos 90, a UNESCO criou uma Comissão Internacional sobre a Educação para o Século XXI.

O Relatório intitulado "Learning the treasure within", foi iniciado em 1993 e concluído em 1996, sob a presidência de Jacques Delors. As teses defendidas neste documento estão centralizadas no "aprender a ser/sentir", "aprender a fazer/atuar", "aprender a aprender/saber/conhecer" e a "aprender a viver juntos". O papel do professor insere-se neste sistema como o agente de mudanças.

Neste contexto cabe um novo olhar sobre a epistemologia e suas dimensões, a inteligência, a percepção e a ciência da cognição.

A arquitetura de saberes é um complexo sistema da ciência cognitiva permeada pelas dimensões do conhecimento, emoção, hábitos e atitudes, habilidades e competências esperadas.

A ciência cognitiva tem sua origem na Grécia Clássica, quando filósofos debatiam sobre a natureza do conhecimento humano. Segundo Cruz, a Ciência Cognitiva pode ser caracterizada como uma área multidisciplinar de estudos, cujo objetivo central é a elaboração de modelos e teorias científicas dos processos cognitivos humanos. A interdisciplinaridade da Ciência Cognitiva é conseqüência da complexidade do sistema neurológico.

Formar PROFISSIONAIS COMPETENTES significa que o projeto político pedagógico da instituição contempla as tendências e desafios da educação brasileira, o envolvimento das teorias clássicas, as recentes descobertas da ciência cognitiva e as novas teorias de inteligência.